A Definição do Amor, de Jorge Reis-Sá

14:41:00



"Casamos quando nasceu. Porque só se casa quando é impossível rasgar o cordão umbilical - o nosso." (Pág. 106)
Francisco é um homem apaixonado pela esposa. Casado há quatro anos e com um filho de alguns meses, o rapaz não esperava que sua vida pudesse mudar drasticamente de maneira tão repentina. Sua esposa, Susana, sofreu um acidente vascular cerebral. Após ser internada, os médicos descobriram que a moça estava grávida e que a gravidez pode ter sido um motivo para o AVC. 

Com a morte cerebral de Susana, foi decidido que ela seria mantida respirando com a ajuda de aparelhos para que fosse possível completar a gestação. Aceitar o falecimento da esposa e o surgimento de um novo filho, duas coisas totalmente inesperadas, não é nada fácil para Francisco. Como uma forma de lidar com essa situação e se adaptar à ideia de iniciar uma nova vida, o rapaz decide manter um diário, no qual ele narra a experiência de encarar a morte e a vida simultaneamente.


A Definição do Amor é narrado através de duas estruturas: páginas do diário de Francisco e capítulos denominados vésperas. Cada uma dessas vésperas contém uma carta na qual é narrada a história, ou parte dela, de um personagem. No início essas cartas parecem um tanto confusas, pois os nomes do personagens só são revelados no final, mas aos poucos é possível entender a participação de cada um deles na história principal do livro.

Como o título sugere, a obra trata sobre o significado do amor. A abordagem feita por Jorge Reis-Sá é muito interessante e promove diversas reflexões, sendo a principal delas a questão da complexidade e pluralidade desse sentimento. Existe uma definição para o amor? Será que ele é sentido da mesma maneira por todas as pessoas? Quantos tipos de amor existem? Essas perguntas são levantadas principalmente durante as vésperas, nas quais o autor constrói histórias de amor bem diferentes do que nós estamos acostumados a encontrar tanto na literatura como no cinema e que muitas vezes não conseguimos entender como algo relacionado a esse sentimento.

A escrita do Jorge Reis-Sá é bastante poética e é importante saber que essa edição feita pela editora Tordesilhas manteve o português de Portugal, país de origem do autor. No começo esses aspectos me causaram um estranhamento, tanto pelo modo como é escrito o diário do protagonista como por algumas palavras e questões de concordância que não são utilizadas no português  brasileiro, mas no decorrer da leitura eu fui me acostumando e nada disso é capaz de atrapalhar a história.

Sem dúvidas o que eu mais gostei no livro foram as reflexões propostas por ele. Essa é uma obra que não havia me deixado tão curiosa, mas que valeu muito a pena ter dado uma chance. No final da leitura precisei parar para digerir aquilo que eu havia lido e essa é uma sensação que eu gosto de ter ao concluir uma história. Se você gosta de livros que te fazem pensar e questionar sua concepção em relação a determinado assunto, A Definição do Amor está super recomendado.

"Somos feitos do que lembramos, penso. Se eu não lembrasse, que era eu? Vivia, concedo - mas não existia. Somos o que se lembram de nós, numa rede de memórias compartilhadas." (Pág. 99)


Minha Estante #65
Título: A Definição do Amor
Autor (a): Jorge Reis-Sá
Páginas: 256
Editora: Tordesilhas
Nota: 5/5
Livro cedido em parceria com a editora

Já leram A Definição do Amor? Me contem o que acharam?
Beijos e até o próximo post!

♥ Banco de Séries | Facebook | Filmow | Goodreads | Instagram | Skoob | Twitter | YouTube ♥

You Might Also Like

0 comentários

Não vai sair sem deixar um comentário, né? Sua opinião é muito importante para mim.
Por favor, deixe o link do seu blog no final do comentário, assim poderei retribuir a visita.
Obrigada. Volte sempre!

Layout por Gabrielle Oliveira. Tecnologia do Blogger.

Twitter

@blogfrasesperdidas

Subscribe